Albertine, o Continente Celeste 

 

 

Albertine, o
Continente
Celeste
Gonçalo Waddington

 

 

A COLECÇÃO PALCO nasce, em colaboração com o TEATRO MUNICIPAL S. LUIZ, em Lisboa, para manter em cena, muito para além do fim da temporada, as peças que por ali passem. Suba o pano para uma das mais recentes e desafiantes, que será lançada, no âmbito das comemorações do Dia Mundial do Teatro, já no próximo dia 26, pelas 20h30, no Jardim de Inverno do S. Luiz, com apresentação de Miguel Loureiro e leituras de Carla Maciel.

 

ALBERTINE, O CONTINENTE CELESTE é uma criação, com texto original de Gonçalo Waddington, que toma como ponto de partida a obra Em Busca do Tempo Perdido, de Marcel Proust, e os trabalhos de alguns dos mais destacados físicos teóricos e cosmólogos dos nossos dias, como Stephen Hawking, Lee Smolin, Sean Carroll , Carlo Rovelli e Pedro G. Ferreira. Ao abordar estas obras fundamentais da arte e da ciência, procura-se reflectir sobre a memória e o tempo. A memória como ferramenta para compreender o passado, mas também a memória imaginada, propositadamente ou não, reconstrutora daquilo que julgamos ter sido e, consequentemente, re-inventora do nosso eu. O tempo, aqui, como origem da vida no universo. Ou melhor, como a origem do próprio Universo. Uma busca interior versus uma busca exterior. Proust busca a essência. Os outros, a origem.

 

GONÇALO WADDINGTON (Lisboa, 1977) é actor, encenador, realizador, dramaturgo, argumentista e produtor. No teatro, além de trabalhar com diferentes companhias e criadores, tem, nos últimos anos, desenvolvido trabalho como criador: em 2009, encenou e coescreveu, com Tiago Rodrigues, O Que Se Leva Desta Vida; Rosmersholm, de Henrik Ibsen, que encenou e protagonizou, para o CCB, em Fevereiro de 2011; criou, com Carla Maciel, a peça Macbain, um texto original escrito para os dois actores pelo dramaturgo holandês, Gerardjan Rijnders, estreada em Outubro de 2013, no Teatro Maria Matos. Na televisão foi cocriador e coargumentista da série Odisseia. Protagonizou a série Até Amanhã Camaradas, de Joaquim Leitão e coprotagonizou a série Noite Sangrenta, de Tiago Guedes e Frederico Serra. No cinema, produziu, escreveu e realizou a curta-metragem Imaculado, estreada no Festival Indielisboa '13. Produziu, realizou e coescreveu a curta-metragem Nenhum Nome, estreada internacionalmente no Festival de Cine Las Palmas de Gran Canaria, cuja estreia nacional foi no Indielisboa ’10, onde ganhou uma menção honrosa prémio Signis Árvore da Vida. Protagonista do filme Capitão Falcão, de João Leitão, a estrear em Abril de 2015. Participou como actor no filme As Mil e Uma Noites, de Miguel Gomes, com estreia prevista para finais de 2015. Ainda como actor, destacam-se ainda as participações em Águas Mil, de Ivo M. Ferreira, no qual foi o protagonista; Alice de Marco
Martins; Coisa Ruim e Entre os Dedos, ambos de Tiago Guedes e Frederico Serra; Mal Nascida, de João Canijo; e, mais recentemente, Yvone Kane, de Margarida Cardoso. ALBERTINE, O CONTINENTE CELESTE, que também encenou, irá iniciar uma digressão no segundo semestre de 2015 que continuará no ano de 2016.

 

 

Mais informação

 

Edição #33
Lisboa, Março 2015


Design e logótipo convidado
Elisabete Gomes/Silvadesigners


Composto em caracteres Tiempos Text
sobre papel Munken Print White 90 g.
Capa em papel

Keaykolour Snow White 300 g.
12 x 21 cm

72 págs

 

ISBN 978-989-8688-20-0
 
9 euros (desconto de 10% sobre PVP 10 euros)

 

Veja como encomendar.