Pelos Leitores de Poesia 

 

Pelos Leitores de Poesia
Filipa Leal
 

Revisitando a boa tradição dos manifestos, FILIPA LEAL intervém em defesa da sua dama-poesia desferindo com o sabre da ironia golpes certeiros no estado das coisas (também poéticas). Um texto lapidar que tem sido lido por todo o país em encontros, festivais e outros salões literários.

 

«Os poetas odeiam trabalhar em escritórios. Vestem-se mal e acreditam em tudo o que lhes dizem. Puxa-lhes o pé para a metáfora. Se os poetas fossem controladores aéreos, haveria tráfego de andorinhas. O ideal para um poeta é estar desempregado. Em nome da segurança pública.»

 

 

Mais informação

 

Edição #36
Colecção Fósforo #02


Design e logótipo convidado JOSÉ TEÓFILO DUARTE


Composto em caracteres Rongel sobre Munken 100 g
Capa em cartolina mate 300 g
10,5 x 25 cm
32 págs.
ISBN 978-989-8688-23-1
 
7,20 euros (desconto de 10% sobre o PVP 8 €)

 

 

Veja como encomendar.